Tags


#Adulting: So You've Moved to a New Church.

3rd October 2018

click for English click for Croatian click for French click for German click for Italian click for Portuguese click for Romanian

A publicação da série #Adulting deste mês é da querida Amanda, que nos encoraja a ficarmos entusiasmados em ir a uma igreja nova, em vez de nos sentirmos com medo (ou ficarmos em casa de pijama!)


Para mim, uma das coisas mais difíceis de me adaptar, depois de me mudar para longe da família e dos amigos, era a ideia de ir a uma nova igreja.

Uma igreja numa cidade onde eu não conhecia uma única alma porque vivia ali sozinha. Como introvertida, este pensamento era ligeiramente aterrorizador. Quer dizer, porquê dar-me ao trabalho de ir à igreja? Neste século XXI em que ver a transmissão ao vivo o culto da igreja ou assistir a sermões gravados na manhã de sábado poderia facilmente tornar-se na norma, por que é que a minha natureza egoísta não haveria de preferir ficar em casa de pijama depois de uma semana longa e difícil? Mas algo me incomodava no fundo da minha consciência.

A Bíblia, caso não tenhas reparado, foca-se bastante em relacionamentos. Na nossa relação com Deus, na relação de Deus connosco, nos nossos relacionamentos com outros… está tudo ali. Numa manhã, depois de tentar decidir se ia ou não sair para assistir ao serviços de culto, um verso em particular ocorreu-me:

E consideremo-nos uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras, não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia. (Hebreus 10:24-25, ênfase dada)

Bem, isto tirou-me de casa. E estou muito feliz por isso!

Ir a uma nova igreja (especialmente para alguém como eu que cresceu na mesma durante quase 20 anos!) é difícil. Relacionamentos requerem esforço. Mas somos todos parte da família de Deus e todos precisamos de fazer a nossa parte. Comunhão com outros cristãos é muito importante e não pode ser substituída por transmissões ao vivo e podcasts.

Aqui estão algumas ideias para te ajudar a ficares entusiasmado com a ideia de ir a uma igreja nova e fazer isso parecer como se pertencesses ali desde sempre. Esta não é uma lista exaustiva, mas é baseada nas coisas com as quais lutei e vivenciei.

Envolve-te

Tens um talento que poderia ajudar a igreja? Talvez tenhas inclinação para a música e gostarias de juntar-te ao coro (ou começar um!). Talvez sejas bom com design e possas ajudar com alguns folhetos ou até com o boletim. Talvez sejas bom com crianças e possas ajudar com as classes infantis ou organizar viagens de jovens a eventos do GYC! Será que podes ensinar uma classe da Escola Sabatina? Cozinhar para o almoço em conjunto? Provavelmente ninguém conhece realmente quais são os teus talentos se és novo na igreja e na zona. Pergunta-te como podes envolver-te, pergunta aos outros quais são as necessidades, e depois faz alguma coisa! Vê o que Ellen White diz sobre envolvimento:

“Cada qual deve sentir que tem uma parte a desempenhar, a fim de tornar as reuniões de sábado interessantes. Não devemos nos reunir simplesmente para preencher uma formalidade, e sim para trocar ideias, relatar nossa experiência diária, oferecer ações de graça e exprimir nosso sincero desejo de ser iluminados para conhecer a Deus e a Jesus Cristo, a quem Ele enviou. O encontro coletivo com Cristo fortalece a alma para os embates e provações da vida. Nem é possível imaginar ser cristão e viver concentrado em si mesmo. Todos representamos uma parte do grande conjunto que é a humanidade, e a experiência de cada um será até certo ponto determinada pela de seus companheiros.” (6T 362.2)

Responsabiliza-te e Adota uma Atitude de Pertença

Se nos focamos apenas naquilo que os outros podem fazer por nós, vamos ter uma existência bastante triste, deprimente e solitária. Como acabámos de ler, temos uma parte a desempenhar em ajudar os outros! Em vez de perguntar o que as pessoas/igreja podem fazer por ti, pede a Deus que abra os teus olhos para aqueles que estão em necessidade na tua nova congregação. Começa aos poucos, focando-te numa pessoa. É surpreendente o que Ele te irá mostrar quando perguntares, e é surpreendente as necessidades que Ele te pode ajudar a suprir.

A igreja não é um edifício ou um campanário, é um povo. A igreja também não é algo que simplesmente nos acontece. Nós somos a igreja.

Toma responsabilidade pelo que acontece. Em vez reclamar, sê essa mudança!

Lembra-te que Cristo é o Nosso Exemplo

Nós vivemos numa sociedade que nos diz que precisamos de entretenimento. Que de certa forma precisamos de sair a ganhar em tudo - até nos serviços da igreja. Mas Cristo, como nosso exemplo, sempre serviu e incita-nos a fazer o mesmo; a perguntar o que podemos fazer pelos outros. Quando colocas os outros primeiro, isso vai mudar a tua vida.

No fim do dia, a nossa conexão com Deus é o que importa e é a base para todos os nossos outros relacionamentos. A vida com o Senhor é incrível, de aventura e gratificante porque Ele nos ajuda através das nossas dificuldades sem sair do nosso lado.

Confia em Jesus

As pessoas podem dizer ou fazer coisas que te magoem e causem feridas profundas. Talvez outros te tenham desencorajado quando te quiseste envolver e fazer mais, ou disseram algo que te magoou. Como humanos pecadores, é quase inevitável. Mas em vez de decidires não ir à igreja ou reclamar sobre isto a alguém que vai ouvir, traz este assunto a Jesus. Ele ouve. Ele conhece o nosso coração e conhece as nossas dores. Quando Jesus estava na Terra, Ele instruiu-nos a dar a outra face, e mostrou amor àqueles que o estavam a pregar à cruz. Sigamos fielmente o exemplo de Cristo ao lidar com os outros - e ganhá-los para um relacionamento mais profundo com Ele. Pede amor pelos outros que apenas Ele pode dar. Deus quer ajudar-nos a desenvolver este amor perfeito, e é através de nos encontrarmos reunidos que o aprendemos também! Vê o que Ellen diz nos testemunhos:

“Deus ensina que devemos congregar-nos em Sua casa, a fim de cultivar as qualidades do amor perfeito. Com isso, os habitantes da Terra serão habilitados para as moradas celestiais que Cristo foi preparar para os que O amam. Lá no santuário de Deus, reunir-se-ão, então, sábado após sábado e mês a mês para participarem dos mais sublimes cânticos de louvor e ação de graças, entoados em honra dAquele que está assentado no trono e ao Cordeiro, eternamente.” (6T 368.3)

Todos temos uma parte a desempenhar, quer frequentemos a nossa igreja por anos, ou acabado de encontrar uma nova congregação à qual nos unir. Relacionamentos requerem esforço, mas somos todos parte da família de Deus e todos temos um papel a cumprir. Comunhão com outros cristãos é importante e não pode ser substituída por transmissões ao vivo e podcasts. A comunhão aqui na terra preparar-nos para a comunhão pela eternidade!


A Amanda Walter é uma professora, blogger, esposa de pastor, e mãe de um gato. No seu tempo livre, ela gosta de fotografia, tomar chá, e tentar manter suculentas vivas.