Tags


A Voz de Deus

14th January 2018

<img src="http://icons.iconarchive.com/icons/gosquared/flag/64/United-Kingdom-icon.png"alt="click for English"style=width:64px;border:0;"> <img src="http://icons.iconarchive.com/icons/gosquared/flag/64/Croatia-icon.png"alt="click for Croatian" style="width:64px;border:0;"> click for German <img src="http://icons.iconarchive.com/icons/gosquared/flag/64/Italy-icon.png"alt="click for Italian" style="width:64px;border:0;"> click for Portuguese click for Romanian click for Russian click for Spanish

Deus tem uma voz, uma voz audível, que pode ser ouvida como eu te ouço se eu e tu estivermos no mesmo quarto e tu me chamares. Deus usou a Sua voz para criar os céus e a terra. Ele usou-a quando falou a Adão e Eva depois de terem feito o que não deviam. Deus usou a Sua voz para chamar Noé, Abraão e Moisés para que cumprissem os Seus propósitos. Há um verso que descreve Deus a regozijar-se pelo Seu povo com cânticos (Sofonias 3:17).
Quando vamos até ao Novo Testamento vemos Deus a usar a Suas cordas vocais novamente em vários lugares. Ele fala no baptismo de Jesus e também na transfiguração de Jesus. Tudo isto para mostrar, que Deus tem uma voz e sabe falar em voz alta.

Alguma vez estiveste numa situação em que desejaste que Deus falasse contigo em voz alta? Talvez tenhas tido uma decisão difícil para tomar. É possível que estivesses a questionar-te sobre qual escola frequentar, o que fazer com a tua relação, o que fazer para superares o teu vício ou porque é que o teu filho/pai/irmão estava doente? Talvez simplesmente te tenhas sentiste fragilizado e quebrantado e questionaste-te se ainda havia alguma coisa pela qual viver. Ou ouviste Jesus a chamar-te, e gostavas apenas que Ele te dissesse exatamente onde e como Ele gostaria que tu O servisses.

‘Então, porque é que Deus não usa a Sua voz quando eu mais preciso?’ podes perguntar. Já me questionei várias vezes porque Deus não falou comigo assim. Certamente, Deus coloca coisas no meu coração o tempo todo. Mas muitas vezes eu sou teimosa, e quando Deus impressiona o meu coração com alguma coisa é um processo mais longo do que por exemplo apenas uma mensagem audível do Pai, ‘Zippora quero que faças isto ou aquilo’.

Mas recentemente, surgiu-me um pensamento que nunca tinha considerado antes. Jesus era muito chegado ao Pai. Às vezes Ele passava noites inteiras em oração. Jesus conhecia o Pai intimamente, e o Pai conhecia Jesus intimamente. Eles eram (e são) um. Então, se houvesse alguma pessoa que deveria ouvir Deus falar consigo para ser encorajado durante a sua maior agonia, esta pessoa seria Jesus, certo? Se houve algum momento em que isto era esperado, foi quando o Filho amado fez uma simples pergunta ao Pai: ‘Pai é possível afastares este cálice de mim e permanecer dentro da tua vontade?’ Qual foi a resposta a esta pregunta?
Quando Jesus está no Getsêmani, a suar sangue, sabendo que está prestes a ser vendido a pessoas que O vão humilhar, abusar e depois matá-Lo; quando Ele está ajoelhado a orar sobre estas coisas, qual foi a resposta do Céu?

Silêncio.
Silêncio ensurdecedor.

Desta vez não se ouve nenhuma voz do céu. Nem anjos a cantar. Aqui está Jesus, no seu ponto de ruptura, e Ele também não ouve a voz de Deus. Tal como todos nós. Mas isso não o desanima. Vemos Jesus fazer uma pequena pausa para depois voltar a ajoelhar-se e repetir a mesma pergunta. 'Pai, haverá outro caminho para mim que não seja este?' Não se ouve nenhuma voz. Mas quando Jesus volta a orar, acontece algo diferente. Deus envia um anjo do céu para fortalecer Jesus. Depois disto vemos Jesus levantar-se, juntar os Seus amigos e pronto para enfrentar o Seu pesadelo.

Jesus não usou o silêncio como pretexto para desistir e afastar-se de Deus. Ele não concluiu que por não ouvir Deus a falar como já tinha falado já não se importava mais. Jesus voltou a orar e encontrou na oração força e coragem. Deus falou-Lhe ao coração. E para pessoas pecadoras e quebrantadas como eu aqui está a nossa lição: Não é na voz audível de Deus, ou na resposta imediata que conseguimos, deste lado da eternidade, superar os nossos temores maiores e receber respostas às perguntas da vida. Devemos compreender, que a oração é muito mais do que falar com o teu quarto vazio. A oração é o acesso ao trono do único Deus sábio. É render-se à vontade de Deus e permitir que Ele nos dê força. É não desistir após a primeira oração e não largar até que Deus te abençoe. É reconhecer até onde Deus te guiou no passado para que no futuro confies na direcção dEle.

Que este relato do sofrimento de Jesus nos faça lembrar que Ele é o nosso maior exemplo em todas as coisas. Se Jesus foi capaz de suportar tudo aquilo, fortalecido pela oração, sem receber instruções audíveis, então por meio da Sua força, tu e eu podemos também ter vitória nas nossas circunstâncias pela oração.

Em oração Deus falará aos nossos corações, e embora talvez não seja audível, é igualmente valioso. Isaías 41:10.

Zippora Anson, Vice-presidente Geral do GYC Europe.